O QUE É L-ARGININA? BENÉFICO PARA A SAÚDE DO CORAÇÃO E DESEMPENHO ATLÉTICO

2023-05-25

L-arginina (ou arginina) é um aminoácido conhecido por ser os “blocos de construção” das proteínas. Obtemos arginina em nossa dieta, especialmente em alimentos proteicos de origem animal, incluindo carne bovina e outros tipos de carne vermelha, aves, peixes, ovos e laticínios.

Além de estar naturalmente presente numa “proteína integral” que fornece todos os aminoácidos essenciais de que necessitamos, também é produzida em laboratório, pelo que pode ser utilizada para criar suplementos que beneficiam a saúde do coração, o desempenho atlético, o desempenho mental, e mais.

O que é L-Arginina?

Embora não seja exatamente um aminoácido essencial - o que significa que o corpo não pode produzi-lo, portanto deve obtê-lo de uma fonte externa - a L-arginina é considerada um aminoácido essencial porque é muito importante para muitas funções, mas geralmente é encontrada no existe uma pequena quantidade, especialmente à medida que alguém envelhece.


Para que serve a arginina? Uma das razões pelas quais as pessoas tomam arginina suplementar é sua capacidade de melhorar o fluxo sanguíneo e a circulação.


No corpo, ele é convertido em óxido nítrico, que abre mais os vasos sanguíneos. Isso tem vários benefícios, como melhoria da saúde do coração e do cérebro.


Outro aspecto importante da L-arginina é que ela estimula a produção de certos hormônios, principalmente o benéfico hormônio do crescimento humano e a insulina, que ajudam a introduzir glicose nas células para crescimento e produção de energia.


Esta é uma das razões pelas quais se pensa que melhora o desempenho físico, a resistência e a força.


A L-arginina difere da arginina vasopressina (AVP), um hormônio antidiurético em humanos e na maioria dos mamíferos que promove a reabsorção de água e aumenta a pressão arterial.


A pesquisa mostra que os benefícios da L-arginina incluem:


combater a inflamação


Reduz o risco de endurecimento das artérias e ataque cardíaco


reparar vasos sanguíneos


Combate a insuficiência cardíaca congestiva e a doença arterial coronariana


Ajudar a baixar a pressão arterial elevada


Melhore o desempenho atlético e a resistência ao exercício de alta intensidade


aumentar a função imunológica


Reduzir a dor muscular (especialmente nas pernas causada por artérias bloqueadas)


Melhorar a função renal


Melhorar a capacidade mental


combater a demência


Corrige impotência, disfunção erétil e infertilidade masculina


Previna o resfriado comum


Para obter uma compreensão mais profunda da função da L-arginina, é útil entender como o óxido nítrico (NO) funciona no corpo.


O óxido nítrico é um gás reativo natural produzido por plantas e animais. É produzido usando L-arginina e óxido nítrico sintase (que faz da L-arginina seu precursor) e é na verdade um subproduto formado a partir de muitas reações químicas diferentes.


As células endoteliais (as células dentro de todos os vasos sanguíneos) precisam de L-arginina para formar óxido nítrico suficiente para manter o sangue fluindo livremente.


O óxido nítrico melhora a circulação dilatando os vasos sanguíneos, por isso, quando as pessoas não têm sangue suficiente nas artérias, correm um risco maior de doenças cardíacas.


O NO mantém os níveis de pressão arterial dentro da faixa normal, sinalizando aos músculos dos vasos sanguíneos para relaxarem, dilatarem e deixarem o sangue passar, ao mesmo tempo que evita a formação de coágulos sanguíneos e placas.


A pesquisa mostra que à medida que envelhece, a sua capacidade de produzir NO suficiente no revestimento das artérias diminui. Felizmente, obter mais L-arginina através da suplementação de arginina ou de arginina na dieta pode ajudar a aumentar a capacidade de óxido nítrico e corrigir a função endotelial prejudicada.


No entanto, os benefícios da L-arginina vão além da produção de NO para auxiliar a circulação. Como você verá, ele desempenha um papel importante na sinalização nervosa, na replicação celular e no combate ao estresse oxidativo que leva a doenças e sinais de envelhecimento.

Benefícios da L-Arginina

1. Melhora a saúde do coração


Estudos demonstraram que a L-arginina ajuda a reduzir a inflamação e a melhorar a saúde do sistema cardiovascular, razão pela qual os suplementos orais de L-arginina são alguns dos tipos mais populares recomendados pelos cardiologistas.


Para pessoas com fatores de alto risco para doença coronariana, esses suplementos podem ser uma forma eficaz de prevenir ataques cardíacos ou derrames.


Algumas das maneiras pelas quais a L-arginina melhora a saúde cardiovascular incluem:


Pode ajudar a prevenir a hipertensão (embora os resultados gerais sejam mistos)


Melhorar o fluxo sanguíneo em pessoas com artérias bloqueadas (doença arterial coronariana)


Reduzir os níveis de colesterol e triglicerídeos


Ajudar a aliviar a insuficiência cardíaca congestiva


Melhorar a resistência


Reduzir os sintomas associados à interrupção do fluxo sanguíneo do coração para as extremidades (chamada claudicação)


Diminuir o açúcar no sangue em jejum


Também é comumente usado para tratar dores no peito (angina) porque o óxido nítrico atua evitando que coágulos sanguíneos (trombose) interrompam o suprimento de sangue. Alguns estudos sugerem que a suplementação diária com dois a três gramas de L-arginina pode resolver a intolerância aos nitratos na maioria das pessoas com angina.


Finalmente, a arginina pode melhorar com segurança o desempenho nos exercícios em pessoas com baixa resistência, problemas de circulação e histórico de doenças cardíacas.


2. Reduz a inflamação e combate os efeitos do envelhecimento


Além da saúde cardíaca, um dos principais benefícios da L-arginina é combater a inflamação causadora de doenças e aumentar a função imunológica.


Devido à sua ação sobre uma enzima chamada superóxido dismutase (SOD), bem como sobre outros mecanismos antioxidantes, descobriu-se que possui capacidades substanciais de eliminação de radicais livres. Frequentemente usado em combinação com antioxidantes como suplementos de vitamina C e óleo de peixe ômega-3, ajuda a retardar o processo de envelhecimento e a prevenir muitas doenças crônicas.


A L-Arginina também afeta positivamente o sistema nervoso central e a função do sistema imunológico, já que no cérebro o NO atua como neurotransmissor e protetor contra ameaças externas.


Ajuda a desintoxicar o corpo e pode até reduzir os níveis de amônia no sangue, razão pela qual às vezes é usado para tratar pessoas com problemas metabólicos e tratos urinários danificados, onde a amônia é excretada do corpo. A amônia (hidróxido de amônio) é um produto da quebra de proteínas pelo corpo e é uma das causas da necrose tecidual que leva à destruição celular e à inflamação.


3. Melhora o desempenho atlético, força e recuperação


A L-arginina é conhecida por ser eficaz na melhoria do fluxo sanguíneo, o que significa que ajuda a levar nutrientes e oxigênio aos tecidos musculares e articulares. Isto significa que com a ajuda da L-arginina, você pode aproveitar mais os benefícios do exercício, possivelmente com maior intensidade e com menos dor.


Pode aumentar o calor e a circulação nas articulações danificadas ou nas mãos e pés frios, especialmente em pessoas com complicações de outras condições de saúde, como fluxo sanguíneo deficiente, artrite ou diabetes.


Alguns estudos mostram que melhora a distância percorrida e reduz a dor muscular, inclusive em pessoas com claudicação intermitente (estreitamento dos vasos sanguíneos nas pernas e pés causado por depósitos de gordura).


É utilizado pelo organismo para aumentar a produção do hormônio do crescimento humano, prolactina e vários aminoácidos - incluindo creatina, L-prolina e ácido L-glutâmico.


Estudos demonstraram que a arginina pode melhorar a tolerância à glicose e a sensibilidade à insulina, assim como o exercício, permitindo que mais glicose entre nas células.


O papel da L-arginina na saúde metabólica é importante para a construção de tecido muscular forte, combate à inflamação que causa dores nos ossos e nas articulações, reparação de danos e funcionamento geral do sistema nervoso.


Também foi demonstrado que ajuda a aumentar o tempo de fadiga em atletas e aumenta a tolerância a exercícios de alta intensidade.


Também há evidências de que pode auxiliar na musculação, no desempenho atlético e no aumento da massa muscular. Algumas pesquisas sugerem que a suplementação pode aumentar a insulina plasmática e ajudar a construir músculos mais fortes, mesmo quando você está descansando, devido aos seus efeitos nos capilares do corpo. Estas alterações hormonais afectam o seu metabolismo de uma forma positiva, ajudando a reparar, construir e manter a base jovem do seu sistema músculo-esquelético.


Alguns estudos descobriram que tomar 5 a 9 gramas de suplementos de L-arginina diariamente pode aumentar significativamente os níveis de hormônio do crescimento.


Na maioria dos casos, a arginina aumenta os níveis de HGH em repouso em pelo menos 100% (em contraste, o exercício regular aumenta os níveis de HGH em 300% a 500%). Ainda mais poderosa é a combinação de L-arginina com exercício.


4. Melhorar a imunidade, ajudar a prevenir infecções e acelerar a cura


Baixa circulação de L-arginina foi encontrada em alguns pacientes com doenças, traumas e câncer. Pensa-se que certas células supressoras do sistema imunitário, conhecidas como MSCs, podem causar deficiência de arginina ou baixos níveis de circulação no sangue.


Isso é problemático porque os linfócitos e células T protetores do sistema imunológico dependem da arginina para proteger o corpo.


A L-arginina, usada com óleo de peixe ômega-3 e outros suplementos, pode reduzir o risco de infecção (especialmente infecções respiratórias ou problemas pulmonares), melhorar a cicatrização de feridas e reduzir o tempo de recuperação após câncer, doença ou cirurgia.


Às vezes é adicionado a pomadas tópicas usadas para tratar feridas pelos seguintes motivos: ajuda a manter o sangue fluindo mais livremente, combate a dor e o inchaço, forma L-prolina, que é importante para a síntese de colágeno na pele, e aumenta a atividade antioxidante.


Também é usado para melhorar a função das proteínas, ajudar a curar queimaduras e pode até ajudar a combater cáries e cáries. Embora ainda sejam necessárias mais pesquisas, devido às suas propriedades de reforço imunológico, a L-arginina é comumente usada em pessoas curadas de quimioterapia ou cirurgia, vírus e infecções, incluindo HIV.


5. Ajuda a tratar a disfunção erétil e a infertilidade


Qual é o papel da L-arginina no sexo? Numerosos estudos demonstraram que, além de melhorar a circulação sanguínea, a L-arginina também está envolvida no processo adequado de replicação celular.


Isso significa que os benefícios da arginina para os homens incluem melhor produção e motilidade de espermatozoides.


Homens que lidam com problemas cardiovasculares relacionados a baixos níveis de óxido nítrico no sangue têm maior probabilidade de apresentar disfunção erétil e problemas de fertilidade porque a ereção requer relaxamento da musculatura lisa desencadeada pelo óxido nítrico. Embora não seja eficaz para todos os homens, estudos demonstraram que uma elevada percentagem de casos de infertilidade masculina (até 92% de acordo com alguns estudos) pode ser tratada com suplementação de L-arginina em combinação com outros dilatadores, antioxidantes ou terapia combinada de medicamentos anti-inflamatórios. .


Alguns estudos demonstraram que níveis elevados de stress podem reduzir a presença de L-arginina na via de produção de esperma, pelo que os homens stressados, em particular, podem beneficiar de suplementos.


A combinação de L-arginina, ácido L-glutâmico e cloridrato de ioimbina é comumente usada para tratar DE e parece ser mais eficaz do que L-arginina sozinha. Na verdade, muitos dos medicamentos para DE mais comumente prescritos funcionam de forma semelhante à L-arginina, aumentando a produção de óxido nítrico.


A dose padrão de arginina para DE é de cerca de 3 a 6 gramas por dia (dividida em duas doses).


Até as mulheres podem obter melhor ajuda reprodutiva com a L-arginina - os médicos às vezes prescrevem cremes tópicos contendo este aminoácido para ajudar a curar problemas sexuais e tratar naturalmente a infertilidade em ambos os sexos porque pode melhorar a circulação dos tecidos genitais.


Além disso, há algumas pesquisas que mostram que o tratamento simultâneo com N-acetilcisteína (NAC) e L-arginina pode ajudar a equilibrar naturalmente os hormônios e restaurar a função sexual normal em mulheres com SOP e desequilíbrios de estrogênio.


Outros estudos demonstraram que a L-arginina, quando usada com ervas como bagas castas, extrato de chá verde e suplementos antioxidantes, pode melhorar as taxas de gravidez em mulheres que têm dificuldade em engravidar.

Riscos, efeitos colaterais e interações

Embora seja geralmente seguro, existem alguns efeitos colaterais potenciais da L-arginina que você deve conhecer, considerando que é um aminoácido natural. Se você tem histórico de doença cardíaca, pressão arterial baixa, diabetes, problemas renais ou um vírus ativo (como herpes ou herpes zoster), não é recomendável consultar seu médico antes de tomar suplementos.


Existem algumas pesquisas que sugerem que tomar suplementos de arginina após um ataque cardíaco pode ser perigoso. Como este suplemento tem potencial para causar complicações em pessoas com histórico de doenças cardíacas, evite tomar suplementos de arginina se isso se aplicar a você.


É seguro tomar L-arginina diariamente? É inofensivo consumi-lo de fontes alimentares naturais, mas altas doses diárias podem complicar sua condição, especialmente se você estiver tomando outros medicamentos ou uma variedade de suplementos.


Discuta com seu médico qual dose pode ser mais benéfica para você e se você deve se preocupar com os efeitos adversos com base na sua situação atual.


Se você é geralmente saudável e toma uma dose de cerca de 1 grama por dia, ainda poderá sentir efeitos colaterais de curto prazo, como dor abdominal, distensão abdominal, diarréia, gota, agravamento de alergias ou asma e pressão arterial baixa.


Este suplemento também tem potencial para causar reações alérgicas ou aumentar o inchaço dos pulmões e das vias respiratórias, portanto, pessoas com alergias ou asma devem usar L-arginina com cautela.


Por último, a L-arginina parece ser segura para mulheres grávidas e até crianças, embora não haja muita investigação sobre os efeitos nestas populações, por isso é melhor manter uma dose baixa ou procurar cuidados médicos.

comida de primeira

Todo mundo produz um pouco de L-arginina por conta própria, mas a quantidade depende de fatores como idade, níveis de inflamação, condição cardíaca e arterial, sexo, qualidade da dieta e genética.


Algumas razões pelas quais algumas pessoas podem não estar produzindo níveis ideais de L-arginina incluem:


Faça uma dieta vegetariana/vegana pobre em fontes completas de proteína


Dificuldade no metabolismo das proteínas devido à indigestão


Altos níveis de estresse oxidativo causado por radicais livres (devido à dieta, estresse ou poluição)


Fuma

fatores genéticos

Quais alimentos são ricos em arginina? Essencialmente, qualquer alimento rico em proteínas fornecerá alguma L-arginina, mas fontes de proteína mais densas são melhores.


Para ajudar seu corpo a produzir e usar mais L-arginina e óxido nítrico naturalmente, concentre-se em uma dieta baseada em alimentos integrais e reais - especialmente fontes de proteína "limpas" que fornecem orientação completa de aminoácidos.


As proteínas completas são as mais benéficas porque fornecem não apenas L-arginina, mas todos os outros ácidos necessários para ajudar no crescimento do tecido muscular e na função adequada dos neurotransmissores.


Peixes selvagens, como o salmão rico em nutrientes, são uma escolha especialmente boa porque, além da L-arginina, fornece ácidos graxos ômega-3 antiinflamatórios que ajudam ainda mais a manter a saúde cardiovascular.


Se você segue uma dieta baseada em vegetais ou tem sintomas de intolerância à lactose, outras maneiras de obter mais L-arginina além da proteína animal incluem comer nozes, sementes, produtos de coco, vegetais do mar ou grãos inteiros e legumes com moderação.


Alguns dos principais alimentos ricos em arginina incluem:


ovos livres de gaiola


Produtos lácteos, como iogurte fermentado, kefir e queijo cru (escolha laticínios orgânicos e crus quando possível)


Carne bovina alimentada com pasto ou carne e aves criadas a pasto (incluindo peru e frango)


Carnes de fígado e órgãos (como patê de fígado de frango)


peixes selvagens capturados


sementes de gergelim


sementes de abóbora


sementes de girassol


Algas Marinhas e Legumes Marinhos


spirulina


Nuts Brasil


Nogueira


amêndoa


carne de coco

Dose suplementar

Embora seja sempre melhor obter nutrição de fontes naturais de alimentos sempre que possível, a L-arginina também é vendida como medicamento de venda livre e com receita, incluindo cápsulas/comprimidos e L-arginina em pó.


Este aminoácido é considerado “semi-essencial” porque muitas pessoas obtêm o suficiente dele apenas com a dieta.


Os médicos às vezes prescrevem altas doses de L-arginina e outros suplementos para uma variedade de doenças, incluindo doenças cardíacas, enxaquecas e infecções, e até mesmo para os efeitos colaterais de diabetes, HIV ou câncer.


Outros suplementos frequentemente usados ​​com arginina incluem citrulina, ornitina e arginase. A arginase converte L-arginina em L-ornitina e ureia, e a agmatina é uma substância química produzida naturalmente a partir da arginina.


A dosagem recomendada de um suplemento de L-arginina depende em grande parte da condição para a qual é usado.


Por exemplo, para ajudar com doenças cardíacas ou disfunção erétil, podem ser tomados 3 a 6 gramas por dia (em duas doses), enquanto para melhorar o desempenho atlético não são incomuns doses de até 9 gramas por dia.


Para adultos geralmente saudáveis ​​que procuram prevenir a inflamação e beneficiar de uma melhor circulação, a dose habitual recomendada é de cerca de um grama (1,000 mg) por dia.


Doses mais altas obviamente apresentam maior risco de efeitos colaterais - além disso, alguns estudos sugerem que mais nem sempre é melhor quando se trata da função da L-arginina nas paredes dos vasos sanguíneos.

pensamentos finais

A L-arginina é um aminoácido que obtemos em nossas dietas, especialmente fontes animais de alimentos protéicos, incluindo carne bovina e outros tipos de carne vermelha, aves, peixes, ovos e laticínios.


Estudos demonstraram que a arginina beneficia a saúde do coração, reduz a inflamação, combate os efeitos do envelhecimento, melhora o desempenho nos exercícios, aumenta a imunidade, ajuda a prevenir infecções, acelera a cura e ajuda a tratar a disfunção erétil e a infertilidade.


Todo mundo produz um pouco de L-arginina por conta própria, mas a quantidade depende de fatores como idade, níveis de inflamação, condição cardíaca e arterial, sexo, qualidade da dieta e genética. Algumas razões pelas quais algumas pessoas podem não ser capazes de produzir níveis ideais de L-arginina incluem a ingestão de uma dieta vegetariana/vegana, fontes inadequadas de proteína completa, problemas de saúde digestiva que levam a dificuldades no metabolismo das proteínas, altos níveis de estresse oxidativo causado por radicais livres. estresse (devido à dieta, estresse ou poluição), tabagismo e genética.


Para ajudar seu corpo a produzir e usar mais L-arginina e óxido nítrico naturalmente, concentre-se em uma dieta baseada em alimentos integrais e reais - especialmente fontes de proteína "limpas" que fornecem orientação completa de aminoácidos.


Compartilhe o artigo

Tem dúvidas sobre aditivos alimentares?

Nossa equipe de vendas profissional está esperando por sua consulta.

Copyright © Arshine Food Additives Co., Ltd. Todos os direitos reservados

FALE CONOSCO

×
  • *Nome:

  • Telefone comercial:

  • *Email

  • empresa:

  • País:

  • *Mais específicos: